Notícias >> Saúde

VISAM DE RIFAINA FAZ CAMPANHA PARA COMBATER RISCO DE OCORRÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL

VISAM de Rifaina está à disposição de toda a comunidade para esclarecer formas de prevenção e combate pelo Dengue Zap (99783-6834).

publicado em 17/07/2018

A Prefeitura de Rifaina está realizando neste mês de julho uma campanha de prevenção e esclarecimento sobre a Leishmaniose Visceral, doença que se não for tratada pode levar à morte em até 90% dos casos em humanos.

A doença é transmitida aos humanos por meio da picada da fêmea de insetos, que anteriormente tenham picado animais infectados pela Leishmaniose.

Leishmaniose Visceral é uma doença grave, que pode acometer homens, cães, e outros animais. A Leishmaniose é uma doença que é considerada uma zoonose (Doença transmitida do animal para o Ser Humano). e que, se não tratada, pode levar à morte. Essa enfermidade é transmitida através da picada de uma fêmea de um mosquito hematófago (alimenta-se de sangue) chamado Feblótomo, ou também apelidado de “Birigui” ou “Mosquito Palha” infectado.

Os sintomas da doença no homem são febre por período prolongado, emagrecimento, aumento do baço e fraqueza, aparecendo esses sintomas, procure imediatamente atendimento médico.

A leishmaniose não é transmitida para os gatos, porém entre os animais domésticos, os cães são os mais acometidos por essa moléstia, que, no caso dos cães, é denominada pelos profissionais de Leishmaniose Visceral Canina. Essa patologia não é transmitida por contato direto, e sim, quando um mosquito infectado, pica um animal sadio.

O cão não é um transmissor da doença e sim um hospedeiro da doença, assim como o Ser Humano. 

Os sintomas no cão são emagrecimento, aumento do baço, vômitos, fraqueza, queda de pelos crescimentos das unhas, feridas no focinho, orelhas e patas.

O tratamento para a Leishmaniose Visceral Canina é a terapia medicamentosa no animal, porém, muitos tutores ainda não conhecem. O mais indicado, caso seu cão esteja com a suspeita de Leishmaniose é levá-lo o mais rápido possível para um médico veterinário para que seja feito o diagnóstico através de exames. Evite o máximo a Eutanásia, pois hoje em dia, já existe a cura e a prevenção da Leishmaniose.

Algumas dicas de como podemos evitar a proliferação do mosquito “palha” e prevenir a doença é manter o jardim sempre limpo, podar árvores recolher galhos cortados, folhas, folhagem, frutos apodrecidos e fezes de animais dando destino adequado a cada um, de modo que o sol possa entrar e evitar a umidade do solo que é propício à proliferação do mosquito “palha”.

Confira a seguir algumas dicas sobre o que fazer para evitar a presença do mosquito transmissor da Leishmaniose Visceral:

– Mantenha a casa e o quintal livres de matéria orgânica, recolhendo folhas de árvores, fezes de animais, restos de madeira e frutas.

– Recolher as fezes de animais.

– Aparar a grama e podar árvores e arbustos para diminuir o sombreamento do solo e evitar as condições do desenvolvimento das larvas.

– Manter o ambiente dos cães, o quintal ou varanda sempre limpos, livres de fezes e acúmulo de alimentos e folhagens.

– Embalar todo esse lixo em sacos plásticos devidamente fechados, e colocados para o serviço de coleta de lixo.

Se você ama sua família e seu cãozinho, mantenha seu quintal limpo, evitando assim que eles sejam infectados.

Mas também é fundamental adotar medidas de prevenção inclusive para cães, já que são os hospedeiros do parasita. . Confira algumas dicas para ajudar na prevenção dos animais: 

Limpeza

Recomenda-se a limpeza periódica dos quintais, por meio da retirada da matéria orgânica em decomposição (folhas, frutos, fezes de animais e outros entulhos que favoreçam a umidade do solo) e destino adequado do lixo orgânico, a fim de impedir o desenvolvimento das formas imaturas dos flebotomíneos. 

Realizar a poda periódica das árvores, além de evitar a criação de porcos e galinhas em área urbana também são medidas importas, além de limpar os abrigos de animais domésticos.

Repelente

É recomendado que os cães utilizem coleiras impregnadas com Deltametrina a 4%. As coleiras devem ser utilizadas em todos os cães, mesmo naqueles que tiverem sido vacinados. É importante ressaltar que o uso das coleiras não pode ser interrompido. Elas devem ser sempre substituídas quando perderem o prazo de validade. 

A VISAM de Rifaina está à disposição de toda a comunidade para esclarecer formas de prevenção e combate desta doença, bastando para isto acionar o Dengue Zap (99783-6834).