Notícias >> Obras e Serviços

CEMIG SE DESPEDE DE RIFAINA E ENGIE APRESENTA NOVOS DIRETORES DE JAGUARA

- Concessionária já tem equipe de profissionais trabalhando na transição do comando da UHE - Usina de Jaguara sediada em Rifaina -

publicado em 13/12/2017

A Companhia Energética de Minas Gerais – CEMIG, promoveu, na última terça-feira (01), o Programa Proximidade UHE Jaguara. O evento foi realizado no auditório-cinema da Casa da Cultura Rui Reis.

No programa, especialistas da companhia fizeram palestras objetivas para esclarecer os aspectos operativos do reservatório, as ações ambientais promovidas pela empresa, os principais tópicos referentes à segurança de barragens e, por fim, a preparação ao Plano de Ação em Emergências (PAE) da Instalação.

O Proximidade é um programa criado pela Cemig para estreitar o relacionamento e, em conjunto com outros programas da Empresa, levar conhecimento técnico e promover o desenvolvimento social das comunidades próximas às usinas sob sua concessão.

Novos gestores

Durante o evento foi apresentada a nova equipe de transição dos gestores da Usina Jaguara, que foi adquirida em leilão pela nova concessionária, a franco-belga Engie, que controla a Engie Brasil e que também levou o terceiro lote, da hidrelétrica de Miranda, Minas Gerais, por R$ 1,36 bilhão, ágio de 22,42%.

A nova equipe da Engie em Rifaina/Jaguara é formada por Artur Roberto Frota Ellwanger (Gerente de Geração Hidráulica), José Borgmann (Engenheiro Especialista), Dirceu Rafanhim (Engenheiro de Operação) e Lívia Silva (Gerente de RH).  

Conheça a nova dona de Jaguara

O governo federal arrecadou R$ 12,1 bilhões com o leilão de quatro usinas hidrelétricas operadas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). 

A Engie Brasil venceu a disputa em dois lotes. Um, referente à hidrelétrica Jaguara, em Rifaina, foi arrematado por R$ 2,17 bilhões, ágio de 13,59%. 

O Consórcio Engie também levou o terceiro lote, da hidrelétrica de Miranda, Minas Gerais, por R$ 1,36 bilhão, ágio de 22,42%. No total, a Engie desembolsará R$ 3,5 bilhões pelo negócio. 

 

A Engie Brasil

A ENGIE atua na implantação e operação de usinas geradoras de eletricidade, sendo também agente ativo na atividade de comercialização.

Maior geradora privada de energia do Brasil, a Companhia é sediada em Florianópolis, Santa Catarina, e suas usinas se encontram instaladas nas cinco regiões do país, mais precisamente nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí e Ceará.

A Companhia tem capacidade instalada própria de 7.070 MW, equivalente a cerca de 6,3% do total no Brasil. Seu parque gerador é composto por 31 plantas, todas operadas pela Companhia, das quais nove são hidrelétricas, quatro termelétricas e dezoito complementares: três a biomassa, onze eólicas, três Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e uma solar. 

Entretanto, a capacidade instalada operada pela ENGIE é de 8.790 MW, pois quatro dessas usinas são exploradas comercialmente por meio de parcerias com outras empresas: Usina Hidrelétrica Itá, Usina Hidrelétrica Machadinho, Usina Hidrelétrica Estreito e Usina Termelétrica Ibitiúva Bioenergética.

A ENGIE Brasil Energia conta com mais de 1.000 empregados e seu portfólio de clientes é formado por distribuidoras, clientes livres e comercializadoras. Além da venda de energia, a Companhia presta serviços associados, como a implantação de instalações de cogeração, operação e manutenção de equipamentos de produção de energia e monitoramento da qualidade da energia.

Seu controle acionário é detido pela ENGIE Brasil Participações, que responde por 68,71% do capital social da ENGIE Brasil Energia. 

Expansão

A ENGIE Brasil Participações detém 40,0% da Usina Hidrelétrica Jirau, que tem capacidade instalada total de 3.750 MW e está localizada no rio Madeira, em Porto Velho, no estado de Rondônia.