Notícias >>

VEJA A LISTA DOS CONSELHEIROS ELEITOS E DOS SUPLENTES DO CMDCA DE RIFAINA

O mandato começará em janeiro de 2020 e durará por quatro anos, segundo regra do Conselho Municipal de Rifaina

publicado em 08/10/2019

O Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de Rifaina – CMDCAR divulgou o resultado para a eleição dos novos Conselheiros Tutelares que tomarão posse em janeiro de 2020 para um mandato de quatro anos.

A eleição foi realizada no domingo (06/10), na EMEB João Etchebehere e foram eleitos cinco conselheiros titulares e mais cinco suplentes.

O Conselho divulgou a relação dos votos obtidos, tanto pelos eleitos quanto pelos suplentes, assim como a votação obtida pelos candidatos que não conseguiram alcançar a eleição nem a suplência, que foi a seguinte:

1º - Glaucia do Mirim – 133 votos

2º - Edinha do Bacalhau – 130 votos

3º - Klenya – 114 votos

4º - Edinho do Conselho – 94 votos

5º - Teca – 88 votos

6º - Andrieli – 87 votos

7º - Carla Regina Conselho – 81 votos

8º - Nanda – Adriana Bolo/ Timaca – 75 votos

9º - Cleide – 73 votos

10º - Mariana do Conselho – 70 votos

11º - Carmem do Poka – 57 votos

12º - Deia – 56 votos

13º - Luiz Fornaciari – 51 votos

14º - Maria Aline do Zé Albino – 51 votos

15º - Pastor Nogueira – 48 votos

16º - Marcia da Creche – 47 votos

17º - Joelma Cordeiro do Mariano – 46 votos

18º - Maria Luiza da Lu – 43 votos

19º - Giordana da Eletrozema – 40 votos

20º - Odete do Ronan – 40 votos

21º - Natalia da Joaninha – 30 votos

22º - Elisangela – 22 votos

23° - Sayonara Umbelino – 08 votos

Brancos e nulos – 08 votos - Total de votos apurados 1.492.

Segundo o CMDCAR, os 05 primeiros eleitos serão empossados em 10 de janeiro de 2020, para um mandato de 04 anos, de 2020 a 2023.

A Presidente do Conselho, Elivânia Rodrigues informou também que, De acordo com o artigo 63 da Lei Municipal 1.700/2015, o CMDCAR, poderá convocar os cinco suplentes na ordem da classificação, para assumir o cargo no caso de férias e vacância, licença para tratamento de saúde, maternidade ou paternidade, sendo que estes serão remunerados proporcionalmente ao período de efetivo exercício da função.