Notícias >> Meio Ambiente

ENGIE-JAGUARA E CORPO DE BOMBEIROS ALERTAM SOBRE PERÍODO DE QUEIMADAS

Falta de conscientização e tempo seco contribuem para o aumento do número de incêndios

publicado em 21/08/2018

A ENGIE, maior geradora privada de energia do Brasil e gestora das usinas de Jaguara e Miranda (que abrangem as cidades de Minas Gerais Uberlândia, Uberaba, Nova Ponte, Indianópolis e Sacramento; e Rifaina e Pedregulho, do estado de São Paulo), alerta sobre o período de seca, que vai até meados de novembro e é mais propício a queimadas nas matas.

As consequências dos incêndios vão além de simplesmente causar fumaça e fuligem que prejudicam a saúde das pessoas. Animais também morrem e as florestas ficam danificadas.

E se eles acontecem, por exemplo, próximo às linhas de transmissão e distribuição de energia elétrica, os danos são ainda mais graves, porque pode apagar cidades inteiras, parando comércios e indústrias e até mesmo prejudicando hospitais que necessitam da energia elétrica.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Uberlândia, a falta de conscientização da população é o principal fator causador do fogo, que na falta de chuva e com pouca umidade no ar, se alastra com mais facilidade. Em nota, o órgão informou: 

"Nessa época do ano, o clima fica realmente seco e as chuvas se tornam escassas, o que deixa a vegetação suscetível às queimadas. As queimadas são, juntamente com os desmatamentos, os nossos principais problemas ambientais.

A maior parte das queimadas ocorre devido a ações do homem. Estão relacionadas a casos como a limpeza ou renovação de pastagens, limpeza nas beiras de rodovias, e até mesmo pontas de cigarro, fuligem incandescente de veículos, lixo, etc. Por isso, cada cidadão deve estar bem informado como prevenir das queimadas.

O Corpo de Bombeiros Militar repassa algumas dicas importantes para realizar a prevenção:

· Ao trafegar pelas estradas e rodovias, não lance pontas de cigarro pela janela do veículo, pois com a baixa umidade desse período, a vegetação seca se incendeia com muita facilidade.

· Ao realizar acampamentos, seja bastante cuidadoso na hora de acender fogueiras, velas e lampiões. Só acenda as fogueiras após limpar bem o local, retirando completamente a vegetação em volta. 

Procure fazer sua fogueira em local aberto, como por exemplo, numa clareira ou à beira do rio, para que o fogo não prejudique os galhos e folhas das árvores que estejam em volta ou acima dela. 

Quando não for mais utilizar a fogueira, certifique-se que as brasas estão apagadas e resfriadas. Se possível, enterre o as sobras de material (carvão, brasas e cinza). Não jogue os restos da fogueira no rio. Nunca se ausente do acampamento, deixando para trás a fogueira acessa ou com torrões em brasa.

· Não jogue lixo por aí. As latas de metal, os cacos e garrafas de vidro podem se aquecer ao sol e acabar dando origem às queimadas.

· Não solte balões, além de perigoso é crime conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9605/98). O balão pode cair aceso em florestas, residências e indústrias, produzindo grandes prejuízos patrimoniais, ameaça ao nosso meio ambiente e até mesmo colocando a integridade física e a vida das pessoas em risco.

· Quando for realizar alguma queima controlada para renovo de pastagem ou para limpeza de alguma área, procure antecipadamente o Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio), que é formada pelo Corpo de Bombeiros Militar, Instituto Estadual de Florestas, Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Polícia Militar, Polícia Civil, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Prefeitura Municipal e parceiros privados."

Enfatizando que causar queimadas tanto na área rural quanto urbana é um grave crime, a ENGIE orienta a denunciar quem o pratica, denunciando a ocorrência de queimadas pelo telefone 127, na Ouvidoria do Ministério Público ou na Promotoria de Justiça.